Tom Tykwer começou sua carreira como operador cinematográfico na cidade de Wuppertal. Uma função que o permitia testemunhar que o grande milagre do cinema é seu poder sobre o tempo. Como nenhuma outra arte, o cinema é capaz de fazer com que o tempo passe rápido e fugaz ou de forma lenta e preciosa.

“Quem somos? De onde viemos?”, pergunta um contador de histórias no início de Corra Lola, corra. Algumas questões são demasiado amplas para um único filme. Tykwer, em seus trabalhos anteriores, já vinha tratando das utopias e da realidade do amor. Depois dos curtas Because e Epilog, ele rodou Maria Fatal, em 1993. Uma mulher solitária foge da realidade através de uma amizade mantida através de cartas e tem nos rituais do dia-a-dia o consolo para sua situação. No cenário complexo dos personagens de Inverno Quente, pode-se detectar um bom número de modelos de experiências emocionais e de formas de lidar com o mundo. Todas “sob o mesmo teto”. Os filmes de Tykwer se interessam pelas grandes dificuldades que se pode ter com isso. E contam, sem condescendência, como objetos podem servir de construções emocionais auxiliares. Nos filmes do diretor, é possível que seja a fotografia que ajude os personagens a gerenciar suas lembranças, desejos e fracassos.

Depois de sua estréia no cinema,Tom Tykwer, então com 28 anos, foi questionado a respeito dos assuntos que pretendia abordar daí em diante. “O amor, como sempre”, foi sua resposta lacônica. “E sobre como ele funciona mal.” O céu, no cinema, sempre se manteve distante da Terra por uma escada espetacular. Tom Tykwer, o narrador ambicioso do cinema alemão, parece que encontrou outro caminho para chegar lá.

Imdb

Tom Tykwer começou sua carreira como operador cinematográfico na cidade de Wuppertal. Uma função que o permitia testemunhar que o grande milagre do cinema é seu poder sobre o tempo. Como nenhuma outra arte, o cinema é capaz de fazer com que o tempo passe rápido e fugaz ou de forma lenta e preciosa.

“Quem somos? De onde viemos?”, pergunta um contador de histórias no início de Corra Lola, corra. Algumas questões são demasiado amplas para um único filme. Tykwer, em seus trabalhos anteriores, já vinha tratando das utopias e da realidade do amor. Depois dos curtas Because e Epilog, ele rodou Maria Fatal, em 1993. Uma mulher solitária foge da realidade através de uma amizade mantida através de cartas e tem nos rituais do dia-a-dia o consolo para sua situação. No cenário complexo dos personagens de Inverno Quente, pode-se detectar um bom número de modelos de experiências emocionais e de formas de lidar com o mundo. Todas “sob o mesmo teto”. Os filmes de Tykwer se interessam pelas grandes dificuldades que se pode ter com isso. E contam, sem condescendência, como objetos podem servir de construções emocionais auxiliares. Nos filmes do diretor, é possível que seja a fotografia que ajude os personagens a gerenciar suas lembranças, desejos e fracassos.

Depois de sua estréia no cinema,Tom Tykwer, então com 28 anos, foi questionado a respeito dos assuntos que pretendia abordar daí em diante. “O amor, como sempre”, foi sua resposta lacônica. “E sobre como ele funciona mal.” O céu, no cinema, sempre se manteve distante da Terra por uma escada espetacular. Tom Tykwer, o narrador ambicioso do cinema alemão, parece que encontrou outro caminho para chegar lá.

3 comentários sobre “Tom Tykwer

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s