sophie schollMünchen, 1943. Enquanto Hiltler brutalmente estende seus dominios nazistas, um grupo de jovens universitários se mobiliza para uma resistência pacífica. Para isso, iniciam um movimento chamado Weiße Rose (Rosa Branca).

Sophie Scholl, estudante e à época única mulher do movimento, participava da produção e distribuição de panfletos e foi umas das poucas mulheres na Alemanha que se opuseram publicamente contra o regime nazista. Por sua resistência, foi presa pela Gestapo, a polícia secreta nazista, juntamente com seu irmão, Hans Scholl e o amigo Christoph Probst. Contado a partir da perspectiva de Sophie, o filme se desenvolve com o consequente interrogatório e punição. Ela luta pela sua liberdade e de seu irmão.

Sophie Scholl pertence ao pequeno grupo de heroínas da história alemã. Mesmo presa, não se deixa intimidar pela pressão do interrogatório e, com seu depoimento, protege os demais membros da Weiße Rose.

A história real da jovem Sophie mostra o dia-a-dia de cidadãos que viviam sob um regime extremamente autoritário e unilateral, coibidos por leis severas, sem liberdade de qualquer forma de expressão.

Sophie Scholl – Os últimos dias foi bastante elogiado pela crítica especializada, principalmente em razão da atuação de Julia Jentsch (Edukators) no papel principal. Em 2005, ano de seu lançamento, o filme conquistou três dos principais prêmios do cinema europeu: Europäischer Filmpreis, Deutscher Filmpreis e Berlinale.

Título original: Sophie Scholl – Die letzten Tage

Ano: 2005

Diretor: Marc Rothemund

Site | Imdb

Fotos

Trailer

Anúncios

Um comentário sobre “Sophie Scholl – Os últimos dias

  1. É a história real de uma jovem estudante alemã que luta contra o nazismo.. A força que anima a jovem impressiona até o oficial da Gestapo que a interroga, a impressão que ele nos passa é que quer salvá-la e tenta dar-lhe condições para tal (dentro dos limites de um oficial da Gestapo) e a cena em que ele lava as mão nos remete a seu sacrifício em favor de suas crenças. Muito significativa também a metáfora da luminosidade no decorrer no filme, culminando com as palavras finais dela.
    O filme dá outra dimensão ao estrangeiro que pensa que os alemão, todos, eram a favor de Hitler e suas idéias. Havia muitos que ignoravam a situação, outros que sabiam o que se passava, mas contribuiam para os objetivos do Reich (no filme representado pelo próprio oficial da Gestapo) e, ainda outros que se sacrificavam em modificar , era o caso de Sophie e seus amigos.
    Excelente filme , nota 10.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s