Thomas Dörschel (guitarra/piano), Mathias Hielscher (baixo), Nino Skrotzki (voz/guitarra) e Angelo Gräbs (bateria) se juntaram em 1999 na pequena cidade de Elsterwerda, no Estado de Brandenburg. E, por mais original que pareça, nem mesmo por trás do nome da banda (Virginia agora) há algo além de uma simples e banal história de amor. Certa vez, o guitarrista e pianista se apaixonou por uma tal de Virgínia e a convidou para assistir a uma apresentação do coral em que cantava. Para que ela encontrasse o local do evento em algum lugar no interior de Brandenburg, ele espalhou cartazes com setas e as palavras “Virginia Jetzt!”.

Como acontece com a maioria dos jovens da região, todos eles se mudaram para Berlin ao entrar na faculdade, antes mesmo de lançar qualquer EP independente ou uma demo que fosse. Só depois de instalada na capital é que a banda distribuiu um primeiro EP com quatro faixas por rádios e gravadoras locais.

Esse tipo de rock universitário – não é segredo algum – geralmente faz sucesso entre um público específico: garotas pubertárias. Com eles, não foi diferente e um certo espaço nas rádios locais já estava garantido. Outro EP veio em seguida, inclusive com uma pequena turnê pela Alemanha, até que em 2003 saiu o primeiro álbum, Wer hat Angst vor Virginia Jetzt? (Quem tem medo de Virginia Jetzt?).

Tudo o que o primeiro álbum já tinha, eles repetiram no segundo, Anfänger (Iniciante), de 2004: melodias simples, letras falando de amor, corações partidos e outras bobagens cotidianas. Até aqui, tudo o que mostravam conhecer era um pop fraco, que atende no máximo à demanda de estações de rádio.

A virada veio com o terceiro álbum, Land unter (Terra abaixo). É como se fosse um disco de estréia, um recomeço. Os quatro arriscam falar de temas mais maduros, de sentimentos mais intensos, investem em uma música mais articulada e mais dinâmica, com arranjos de piano e harmonias mais desenvolvidas.

Agora, eles são uma banda indie profissional. Além disso, eles têm algo que poucas das bandas alemãs que chegam às paradas de sucesso têm: a experiência de ter crescido na antiga República Democrática Alemã (RDA). Essa é a história que eles cantam na faixa “Zonenkind” (criança da zona [de ocupação soviética], como era pejorativamente chamada a RDA na Alemanha Ocidental).

Quando o passado é eliminado às custas de um futuro melhor e nada te prende à terra, a não ser o fato de ter nascido lá./Um olhar para trás, um olhar para frente/O que me segura aqui: aqui eu nasci. (…) Mas não um lar, apenas uma casa: o país.

Site | MySpace | Letras

Discografia

Vídeo

Anúncios

4 comentários sobre “Virginia Jetzt!

  1. Ich dachte diese webseite sehr Toll. Wir können fast alles über Deutsche Kultur finden.
    Wo habt ihr Deutsch gelernt?
    gruesse!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s